Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Programa um computador
por estudante do Ensino Superior

18

“As universidades não podem se dar ao luxo de serem instituições isoladas”, defende Edson Macuácua, Vice-Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Em um mundo cada vez mais globalizado, as universidades não podem mais se dar ao luxo de serem instituições isoladas. Essa foi a mensagem enfatizada pelo Vice-Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Moçambique, Edson Macuacua, durante a sua participação na magna Conferência Internacional realizada, recentemente, no Centro Internacional de Conferências Joaquim Chissano, na cidade de Maputo. 

Macuacua ressaltou que a conferência representa uma oportunidade crucial para aprofundar as relações históricas entre os Estados membros, bem como promover o intercâmbio entre instituições de ensino superior. Para o dirigente, o evento serviu de plataforma para compartilhar experiências, identificar pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças, e, acima de tudo, estabelecer parcerias e redes de cooperação internacional.

“As Instituições de Ensino Superior presentes na conferência têm a oportunidade de trocar experiências e conhecimentos sobre como aprimorar a formação de graduados capazes de enfrentar os desafios do século XXI”, asseverou Macuácua. O Vice-Ministro enfatizou a importância de formar graduados que não apenas adquiram conhecimento, mas também desenvolvam habilidades essenciais para a vida, estejam preparados para enfrentar os desafios da empregabilidade e atendam às expectativas da sociedade, com excelência em educação nos quatro domínios: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver juntos e aprender a ser.

A internacionalização das instituições de ensino superior foi destacada como uma necessidade imperativa em um mundo cada vez mais globalizado. Esse processo implica em mudanças organizacionais, inovação curricular, desenvolvimento profissional do corpo acadêmico e administrativo, além do estímulo à mobilidade acadêmica, tudo em busca da excelência no ensino, pesquisa, extensão e inovação.

Diante dos desafios globais que exigem respostas globais, a cooperação entre as instituições de ensino superior foi apresentada como não apenas uma opção, mas uma responsabilidade compartilhada. O Vice-Ministro enfatizou a importância de um paradigma de cooperação equitativo, que garanta acesso igualitário ao ensino superior, promova a qualidade, compartilhe conhecimento e respeite a diversidade cultural, além de preservar a soberania nacional.

Os desafios comuns enfrentados pelos países, como as mudanças climáticas, a pobreza, a empregabilidade dos jovens e a recente pandemia de Covid-19, ressaltam a relevância da cooperação internacional por meio de parcerias entre instituições de ensino superior. Uma das respostas a esses desafios está na internacionalização das instituições de ensino superior, com programas de cooperação baseados na solidariedade, respeito mútuo, promoção de valores humanistas, diálogo intercultural e compartilhamento de conhecimento.

Especificamente para o continente africano, Macuacua enfatizou a necessidade de cooperação entre as instituições de ensino superior para desenvolver e valorizar o capital humano, a fim de conter a fuga de cérebros africanos e permitir que eles contribuam para o desenvolvimento sustentável do continente.

Importa frisar que a Conferência Internacional representa um passo significativo em direcção à internacionalização e cooperação entre as instituições de ensino superior, visando a construção de um futuro mais promissor e solidário para as gerações vindouras.