MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

95

Lançado as Comemorações dos 60 Anos do Ensino Superior em Moçambique e Angola

O Ministro  da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, procedeu na manhã de hoje, em Maputo, o Lançamento das Comemorações dos 60 Anos do Ensino Superior em Moçambique e Angola, evento que  se celebra sob o lema “Consolidar um Ensino Superior de qualidade”. Discursando durante o evento, o ministro afirmou que  com o lançamento […]

O Ministro  da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, procedeu na manhã de hoje, em Maputo, o Lançamento das Comemorações dos 60 Anos do Ensino Superior em Moçambique e Angola, evento que  se celebra sob o lema “Consolidar um Ensino Superior de qualidade”.

Discursando durante o evento, o ministro afirmou que  com o lançamento das Comemorações dos 60 Anos do Ensino Superior, pretende-se criar na República de Moçambique,  e de Angola, um movimento cujo desenrolar será marcado por inúmeras actividades de cunho académico-científico, sendo que o apogeu das referidas comemorações está planificado para 29 de Junho à 1 de Julho do ano em curso, com a realização da  Conferência Internacional sobre o Ensino Superior em Moçambique e Angola.

Segundo o ministro Nivagara,  volvidos seis décadas, é legítimo e oportuno desencadear-se um amplo, profundo, transversal e inclusivo movimento reflexivo intelectual e académico a respeito do percurso histórico, dos desafios, das oportunidades e das perspectivas de transformação deste subsistema de ensino em Moçambique e Angola, com vista à sua crescente consolidação, qualidade e relevância social.

Como refere o dirigente, neste exercício de reflexão em torno do estágio do Ensino Superior em Moçambique e Angola, no âmbito das comemorações dos 60 Anos de sua existência,  é incontornável a abordagem profunda sobre as políticas deste subsistema de ensino, o lugar da investigação científica, da extensão universitária e da inovação na formação dos estudantes, a qualificação dos docentes num contexto marcado por demandas de qualidade, relevância e empregabilidade dos cursos, bem como de internacionalização das IES, a instituição de órgãos de garantia de qualidade nas IES, a democraticidade e o papel dos órgãos colegiais no seio das IES, o perfil académico-científico dos dirigentes das IES, entre outros.

É  expectativa do dirigente  que este movimento de comemoração dos 60 anos do Ensino Superior em Moçambique e Angola se traduza numa oportunidade para se reflectir em torno dos desígnios deste subsistema de ensino em ambos os países, do seu papel e impacto sociais, bem como possibilite avaliar o estágio de sua internacionalização e de promoção da integração regional, rumo a um Ensino Superior que seja, de facto, de qualidade, inclusivo, relevante e reconhecido internacionalmente.

Foi neste contexto que exortou  à toda a comunidade académica e científica de Moçambique e Angola a envolverem-se massivamente nas diversas actividades alusivas à estas comemorações dos 60 Anos do Ensino Superior.

“Lançamos um vigoroso apelo às Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas, aos Docentes, Investigadores, Corpo Técnico-administrativo, estudantes e todos quanto tenham interesses no Ensino Superior a promoverem activamente estas celebrações e participarem em actividades afins, como sejam. Congressos, Simpósios, Jornadas Cientificas, Debates, Mesas-Redondas, exposições didácticas-científicas, programas televisivos e radiofónicos, webinars, entre outros” sublinhou.

Ainda na sua alocução,  Nivagara instou a comunidade académica de Moçambique e Angola, bem como de outros países, a produzir e submeter comunicações científicas em torno dos eixos temáticos sugeridos para a Conferência Internacional sobre o Ensino Superior, cientes de que desta forma cada um estará a contribuir para  uma reflexão sobre o passado, o presente, os desafios e as perspectivas do subsistema de ensino superior e os seus contributos no desenvolvimento da sociedade.

“Apelamos, igualmente, as IES e as Instituições de Investigação científica para uma activa mobilização dos actores do subsistema, tais como docentes, investigadores, estudantes, corpo técnico-administrativo, parceiros nacionais e estrangeiros, no sentido de estes se unirem a esta reflexão sobre o ensino superior, sobretudo mediante essa produção de comunicações científicas e a participação em todas as actividades programadas, sejam ao nível central ou ao nível de cada uma das IES”,  acrescentou.

Intervindo na modalidade  virtual, a Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação da República de Angola,  Maria do Rosário Bragança Sambo, destacou a importância do evento como uma oportunidade para  reflectir sobre o estágio e  desafios deste subsistema de ensino em Moçambique e Angola.

A cerimónia contou a  participação da Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação da República de Angola; Reitores de Instituições de Ensino Superior  de Moçambique e Angola; Directores-gerais de Instituições de Ensino Superior (IES)  de Moçambique e Angola; Dirigentes e Quadros dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)  da República de Moçambique e, do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação da República de Angola; Docentes, Investigadores, Membros do Corpo Técnico-administrativo e Estudantes de IES de Moçambique e Angola; entre outros convidados.

Recorde  que os Estudos Gerais Universitários de Moçambique (EGUM) e de Angola (EGUA) foram estabelecidos, por Decreto, a 21 de Agosto de 1961 e iniciaram as suas actividades em 1962, num contexto em que tanto Moçambique, quanto Angola, eram colónias portuguesas.