MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

58

MÁQUINA DE LAVAR MINÉRIOS

A Máquina de Lavar Minérios que constitui a presente inovação, pertence ao ramo de construção mecânica e refere-se a uma máquina de lavar minérios e reciclar água. Esta máquina foi concebida com objectivo de minimizar os problemas de poluição das águas resultante da prática de garimpo que geralmente é feito no leito dos rios ou […]

A Máquina de Lavar Minérios que constitui a presente inovação, pertence ao ramo de construção mecânica e refere-se a uma máquina de lavar minérios e reciclar água. Esta máquina foi concebida com objectivo de minimizar os problemas de poluição das águas resultante da prática de garimpo que geralmente é feito no leito dos rios ou lagos e com a consequente sua poluição.

A Máquina de Lavar Minérios mostrou-se útil durante a fase de uso experimental que ocorreu em finais de 2010 no seio de garimpeiros de Ouro na Província de Maputo, na região Centro de Moçambique. Constitui uma alternativa tecnológica, em relação ao uso de práticas e técnicas tradicionais de busca e peneiramento de solos suspeitos de conter ouro. Tais práticas e técnicas tradicionais de garimpo de minérios são nocivas para a saúde humana e ambientalmente lesivas para os rios e lagoas que correm em áreas mineralíferas.

Com esta inovação, durante cinco minutos de lavagem de trinta quilos de terra (que se julgava que não tivesse ouro) conseguiu-se obter quase um quilo de ouro. Um quilo de ouro em apenas cinco minutos é o equivalente ao que os garimpeiros fazem por dia com recurso a métodos manuais e técnicas tradicionais de garimpo. Dentre estas técnicas e métodos destacam-se a quebra e trituração de minérios de ouro à mão; a lavagem da areia mineralíferas em bacias-de-uso-doméstico e o uso de peneiras da cestaria tradicional.

A Máquina de Lavar Minérios trata-se duma inovação que funciona com um Motor com a potência de 4 (quatro) Cavalos e que é activado por energia eléctrica. A Máquina de Lavar Minérios também pode ser manipulada e manobrada manualmente, em zonas desprovidas de electricidade.

Do ponto de vista tecnológico, esta Máquina, com uma envergadura de um-metro-por-metro-e-meio, e altura de mais ou menos dois metros, possui uma bandeja quadrangular (de mais ou menos um-metro quadrado de área). Para a lavagem de ouro esta bandeja ondula sem parar. Nisto lembra-nos uma pequena barcaça sobre as águas do mar. Ondula devido aos impulsos regulares provocados pelo funcionamento duma Cambota. À medida que isto acontece, um pequeno chuveiro, fixo no ‘tecto’ da parte superior, jorra água para cima de quase cinco quilos de terra (recolhida nos fundos de galerias subterrâneas suspeitas de conter ouro).

A água do chuveiro molha abundantemente a terra, arrastando-a em pequenas porções para um dreno acoplado à Máquina. A manobra de ondulação da bandeja quadrangular é controlada até que se verifique se sobre a “língua de terra” que sobra (no meio da bandeja quadrangular) reluzam (ou não) pequenas partículas de ouro.

Esta inovação foi desenvolvida pela KBW-Inovadores; que é um Colectivo de Inovadores liderado por Cardoso da Silva; da Cidade de Maputo, Moçambique. Contacto +258 824128719

Tem registo nº MZ/P/2011/220 no Instituto da Propriedade Industrial de Moçambique (IPI)