Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Programa um computador
por estudante do Ensino Superior

18

MCTES focado no estabelecimento de plataforma para a capacitação de docentes, pesquisadores e estudantes na área de CTEM

O MCTES pretende estabelecer uma plataforma sólida de colaboração entre a Universidade de Lund e as várias instituições de ensino superior e de investigação científica moçambicanas, com vista à, dentre outros, capacitação de docentes, pesquisadores e estudantes na área de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM).

Com efeito, duração dois dias, a cidade de Maputo acolheu o Seminário sobre Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo como Vectores para Transformação Socioeconómica e Desenvolvimento Sustentável em Moçambique, evento que serviu de espaço de partilha de experiências mútuas entre Moçambique e Suécia na área de inovação, tecnologia e empreendedorismo.

Trata-se de uma actividade que faz parte de um leque de actividades planificadas no âmbito da recente missão de serviço da delegação da Universidade de Lund à Moçambique, sendo que com a realização do mesmo pretende-se, dentre outros, partilhar-se as experiências mútuas na área de inovação, tecnologia e empreendedorismo.

Durante o seminário, foram abordadas temáticas ligadas à acção do Governo para a promoção da Inovação e do Empreendedorismo; o Papel dos Stakeholders no Ecossistema de Inovação e Empreendedorismo; e o Desenvolvimento do Capital Humano para o Empreendedorismo, a Inovação o Desenvolvimento Sustentável.

Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, o Governo de Moçambique atribui  importância ao conhecimento científico, à inovação,  ao desenvolvimento tecnológico e à transferência de tecnologias para produção de respostas imediatas aos desafios de desenvolvimento do País, tais como a redução da incidência de doenças endémicas na população moçambicana; melhoria do combate contra pragas em culturas agrícolas; libertação de sementes mais resistentes à seca; aumento da produção e produtividade agrárias; melhoria da segurança alimentar e nutricional; melhoria do fornecimento de água potável e energia eléctrica; mitigação do impacto das mudanças climáticas, entre outros.

“Acreditamos que para o alcance desses nobres objectivos, afigura-se incontornável, dentre outros, a consolidação do financiamento destinado à actividades de Investigação Científica, Inovação e Transferência de Tecnologia; o incremento contínuo do número e respectiva retenção de Recursos Humanos qualificados que desenvolvem actividades de Investigação Científica, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico no País e; a contínua aprovação e subsequente implementação de um Quadro Legislativo forte, com políticas e respectivas estratégias de implementação”, sublinhou o ministro.

Num outro desenvolvimento, o dirigente afirmou que  os sucessivos instrumentos programáticos de governação no país, pontificam o papel fundamental da investigação científica para informar o processo de formulação, implementação, monitoria e avaliação de políticas públicas, baseado em evidências científicas.

Foi nesta conformidade que em Fevereiro de 2021 foi lançado o Relatório sobre o Mapeamento da Investigação e Inovação em Moçambique, um instrumento que faz análise das diferentes dimensões do sistema nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação de Moçambique e suas componentes, abrangendo o quadro legal, os instrumentos de política operacional em vigor, a coordenação e as estruturas organizacionais, sendo que o mapeamento em referência, termina com uma série de recomendações de política para acções e investimentos futuros em Ciência, Tecnologia e Inovação.

De igual modo, do conjunto de resultados tangíveis no âmbito do entendimento assumido entre o MCTES e a Universidade de Lund, podem-se destacar, o  compromisso mútuo de promover a cooperação académica e científica entre Moçambique e a Suécia, nas áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação; Ensino Superior e Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC);  a exploração de possibilidades de bolsas de estudo para estudantes moçambicanos na Universidade de Lund; a exploração de oportunidades de pesquisa conjunta em áreas estratégicas, como formação, empreendedorismo, energias renováveis; e acordo para estabelecer um comité de colaboração permanente entre o MCTES e as autoridades académicas suecas.

Adicionalmente, segundo o governante, essa interacção entre Moçambique e Suécia tem lugar no quadro de uma plataforma mais abrangente de cooperação entre África e a União Europeia, no cerne do qual o país tem testemunhadodo a formação do capital humano e social moçambicano, através da atribuição de bolsas de estudos à concidadãos nacionais para a formação em diferentes áreas do saber, tão estratégicas para a promoção do crescimento e desenvolvimento socioeconómico de Moçambique.

“À este propósito, recordamo-nos do grande contributo que a União Europeia deu ao desenvolvimento do subsistema do ensino superior em Moçambique, através dos programas Erasmus Mundus e Erasmus Mundus + (PLUS), cuja essência era mobilidade de estudantes de África para instituições de ensino superior dos países Membros da União Europeia, visando melhorar a qualidade do ensino superior através de bolsas de estudo e cooperação académica entre a União Europeia e o resto do mundo”. Salientou o ministro.

Concluíndo, o titular da pasta de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior afirmou que  o seminário em apreço representa um dos indicadores imediatos da operacionalização do Memorando de Entendimento recentemente celebrado entre o  MCTES e a Universidade de Lund.