Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Programa um computador
por estudante do Ensino Superior

18

MCTES perspectiva publicar o ranking das IES acreditadas 

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior perspectiva introduzir no próximo ano de 2024, a publicação do ranking das Instituições de Ensino Superior (IES) acreditadas, uma iniciativa que visa orientar os estudantes à identificarem onde se matricularem para garantir uma formação com padrões de qualidade aceitáveis.

Esta informação foi avançada recentemente, pelo Vice-Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Edson Macuácua, durante a VI Cerimónia de Graduação do Instituto Superior de Gestão, Comércio e Finanças (ISGECOF), realizada recentemente, em Maputo.

Segundo Edson Macuácua, a materialização desse desiderato, passa pela institucionalização da auto-avaliação sistémica nas IES, isto é, cada instituição deve se auto-avaliar e garantir acreditação dos cursos ministrados.

“A conformação da sua organização e funcionamento com o novo quadro regulador do subsistema do ensino superior e a elevação da formação do corpo docente em diferentes áreas de especialização e ao nível psicopedagógico constituem prioridades do sector para o ano de 2024” avançou o Vice-Ministro, Edson Macuácua.

Com efeito, urge consolidar a implantação de unidades internas de garantia de qualidade, capazes de coordenar e monitorar a qualidade de ensino em cada instituição.

Conforme o Vice-Ministro , o capital humano é crucial para o progresso do país, uma vez que é por meio do conhecimento científico que se transforma os recursos naturais em riqueza e se cria o bem-estar.

Foi neste contexto que Edson Macuácua saudou os mentores, gestores, docentes, estudantes e o corpo técnico administrativo do ISGECOF pelo seu crescimento quantitativo e qualitativo e,  pelo contributo que dá à formação do capital humano e na construção de uma sociedade de conhecimento.

“Saudamos o ISGECOF pelo seu crescimento e consolidação como uma instituição de ensino superior que tem vindo a se afirmar no ecossistema nacional do ensino superior”, acrescentou Edson Macuacua. 

Aliás, as IES têm a responsabilidade de formar quadros nas diferenetes áreas do saber com a necessária qualidade de modo a fazer face às demandas da sociedade e do conhecimento. Para tal é importante que as IES continuem a elevar a sua excelência nos domínios do ensino, investigação, extensão e inovação.    

Neste quesito as IES são desafiadas à desenvolver um ensino baseado em padrões de competência e orientado para a lógica da procura, um ensino económica e socialmente relevante, que permite a empregabilidade, a inserção dos graduados no mercado.

“Assim, mais do que celebrar o fim de um ciclo de formação, a graduação é uma cerimónia solene que marca o início de uma nova etapa de formação em exercício onde os conhecimentos adquiridos serão testados na sua aplicação prática para a resolução de problemas concretos, para a melhoria do funcionamento de instituições públicas e privadas e, para a elevação de níveis de produção e productividade”, sublinhou. 

Para o Secretário de Estado na cidade de Maputo, Vicente Joaquim, a graduação dos 395 quadros superiores nas áreas de Gestão de Recursos Humanos, Direito, Contabilidade e Auditoria, Administração Pública, Comércio e Finanças, Administração Pública e Autarquia, Economia, Gestão Empresarial, Gestão Ambiental e Finanças, assinala o cumprimento da nobre missão do ISGECOF, em   proporcionar uma formação académica e profissionalizante orientada para o saber-ser, saber-fazer, saber-estar e saber-pensar.

A formação Superior e profissionalizante é uma importante ferramenta de competências técnicas das quais as instituições devem fazer o seu melhor uso para melhor servir o cidadão e promover o empreendedorismo.

Assim, a melhoria na prestação de serviços deve resultar na eficiência e eficácia das instituições da administração pública e privada.

” A vossa formação no ISGECOF deverá se traduzir em maior conhecimento com elevado grau investigativo, compromisso, trabalho em equipa, empreendedorismo, e a capacidade de fazer mais e melhor em benefício do cidadão de quem todos juramos servir. Temos a plena consciência que irão melhor servir o sector público e privado, com zelo, dedicação e com alto sentido de responsabilidade”, salientou Vicente Joaquim.