MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

18

MCTES reflecte sobre a Política de Ciência, Tecnologia e Inovação

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) debateu, ontem, com a Equipa Técnica Multissectorial a Política de Ciência, Tecnologia e Inovação com vista a verificar, harmonizar e validar as propostas dos instrumentos programáticos produzidos. Falando na abertura do segundo workshop, o Inspector Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernando Niquice, […]

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) debateu, ontem, com a Equipa Técnica Multissectorial a Política de Ciência, Tecnologia e Inovação com vista a verificar, harmonizar e validar as propostas dos instrumentos programáticos produzidos.

Falando na abertura do segundo workshop, o Inspector Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernando Niquice, disse na sua intervenção que do instrumento, procuram guiar as acções dos actores e intervenientes no Sistema Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação de Moçambique com vista a contribuir no progresso económico e social que se pretende para o país e com reflexos no bem-estar da população.

Fernando Niquice avançou que a avaliação do instrumento mostra que apesar de se terem registados avanços positivos no domínio da Ciência e Tecnologia desde a entrada em vigor do instrumento em referência, ainda há desafios significativos por serem suplantados.

Deste modo, constitui um dado adquirido que as mudanças se constituem como sendo fenómenos constantes, pelo que no contexto nacional e internacional nos tem indicado nos novos rumos no domínio da Ciência, Tecnologia e Inovação.

“A inovação, em particular, é o motor destas transformações. Qualquer país que almeje um desenvolvimento rápido e que gere benefícios para sua população, deve concentrar suas políticas públicas na Ciência, Tecnologia e Inovação”, vincou.

Para o representante do pelouro da ciência, tecnologia e ensino superior, evento constitui uma oportunidade para que os intervenientes presentes possam chegar a consensos que conduzam a validação da Versão Preliminar da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação com objectivo de os enquadrar na conjuntura actual da pesquisa, inovação e desenvolvimento tecnológico ao nível nacional, regional e internacional.

Para a directora adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Silva, a revisão do instrumento iniciou nos meados do ano passado com a contratação de consultores especializados para o efeito, com o apoio da UNESCO e o financiamento Banco Islâmico.

Na sua alocução Lúcia Silva, referiu que foram discutidos com diferentes actores a nível nacional bem com a realização de seminários regionais de auscultação, como também, a aplicação de questionários para a captação de percepções dos diferentes actores sobre a avaliação dos instrumentos.

Assim, no presente evento pretende-se partilhar a versão preliminar do instrumento e discutir com Equipa Técnica Multissectorial com vista a colher mais subsídios para o seu melhoramento.

Segundo o consultor, Lino Santos, a política está a ser revista e actualizada e possui balizas que podem ser actualizadas, mas a estratégia ficou descontinuada, daí a necessidade de adequar a nova realidade.

“Esperamos colher subsídios e indicações para montar estratégias com as informações a serem fornecidas”, disse.

Recordar que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) é a entidade do Governo que dirige, monitora e avalia as actividades no domínio da Ciência, Tecnologia e Inovação. A governação deste domínio é feita por intermédio de dois principais instrumentos de orientação nomeadamente a Política da Ciência e Tecnologia, aprovada em 2003 e a Estratégia da Ciência, Tecnologia e Inovação de Moçambique, aprovada em 2006.