MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

18

MCTESTP e Kamaleon massificam o uso das TIC nas comunidades

O Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional e a Kamaleon – Eventos Tecnológicos pretendem massificar o uso das tecnologias de informação e comunicação ao nível das comunidades rurais através das Plataforma Móvel Digital Pró-Educação Inclusiva e a Plataforma Móvel Digital Pró-Governação Inclusiva. Falando por ocasião da assinatura do memorando de entendimento, […]

O Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional e a Kamaleon – Eventos Tecnológicos pretendem massificar o uso das tecnologias de informação e comunicação ao nível das comunidades rurais através das Plataforma Móvel Digital Pró-Educação Inclusiva e a Plataforma Móvel Digital Pró-Governação Inclusiva.

Falando por ocasião da assinatura do memorando de entendimento, Gabriel Salimo, disse que memorando de entendimento é de âmbito nacional, as acções previstas no contexto da sua implementação estão direccionadas, fundamentalmente, as comunidades rurais sem acesso às tecnologias de informação e comunicação e irão incidir em áreas como formação técnico profissional, governação digital, educação e cidadania.

Assim, serão implementados inúmeros projectos e programas de âmbito nacional, será viabilizada com recurso à plataforma tecnológica designada “tablet comunitário”, uma solução que permite a disseminação do uso de instrumentos tecnológicos e digitais, de forma ambulante, para o empoderamento das comunidades em regiões remotas.

“Está previsto o estabelecimento de um comité técnico conjunto, uma entidade funcional importante, que consideramos que jogará papel preponderante para operacionalização, com sucesso, desta parceria”, afiançou.

Gabriel Salimo reforçou a ideia de que a parceria com a Kamaleon contempla cláusulas de práticas anti-corrupção, protecção dos direitos de propriedade intelectual, realidades consideradas cruciais para a implementação de parcerias frutíferas com ganhos mútuos e, seguindo-se os mais nobres preceitos legais, éticos e morais.

A parceria será válida por um período de cinco anos, sendo que a sua implementação acompanhará grande parte do tempo de vigência do programa quinquenal de governação 2020-2024, traduzindo-se, por conseguinte, numa fonte importante para o cumprimento satisfatório de nossos compromissos governamentais no que tange a massificação do uso das TIC na sociedade moçambicana e, redução do fosso digital entre as comunidades rurais e urbanas.

Por conseguinte felicitou a empresa pelo certificado de reconhecimento atribuído pela União Africana, em 2018, na República do Senegal, à estrutura áudio visual móvel digital, o “tablet comunitário”, como sendo uma das 50 melhores inovações para a área de educação em África, acrescentando que foi identificada como tendo um destacado contributo no combate contra a propagação do novo coronavírus (COVID-19), tendo como amostra, intervenções feitas no distrito de Marracuene, na província de Maputo.

Referir que o tablet permite o estabelecimento de conexão remota para interacção, em tempo real, com técnicos da Saúde para o esclarecimento de dúvidas sobre a COVID-19, bem como, está dotada de facilidade logísticas e capacidade para transportar medicamentos e outros tipos de insumos hospitalares para locais recônditos.

O representante da Kamaleon evento tecnológico prometeu honrar com resultados o acordo assinado com ministério, acrescentando que a equipa sobreviveu as adversidades para concretizar o sonho de edificação da primeira unidade física.

O ministério da ciência e tecnologia, ensino superior e técnico profissional, foi a primeira instituição que abrigou os projectos da empresa, através da direcção nacional de ciência e tecnologia, no programa criando o cientista moçambicano do amanhã.

“Deram-nos o desafio de fazer um projecto de educação digital pelas escolas, começado pela zona sul e terminando na zona centro.

Aceitamos o desafio, mas não foi fácil, pois era a primeira experiência no terreno”, disse.

Com a eclosão da covid – 19 desenvolveram um projecto para o empoderamento das comunidades rurais, sobre métodos preventivos que foram de forma digital, acrescentando que em parceria com o sector de saúde deslocaram-se as comunidades para difundir a informação sobre a pandemia e alteração dos comportamentos das comunidades.

De acordo com o representante da Kamaleon eventos tecnológicos, a infraestrutura digital e sua utilidade no contexto rural está devidamente reconhecida e aprovada perlo Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação (INTIC).