MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

18

MCTESTP partilha desafios do pelouro com parceiros de cooperação

O Ministério de Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP), realizou recentemente uma reunião técnica com parceiros de cooperação para a partilhar prioridades e desafios do sector e seus projectos estruturantes. Intervindo no encontro, a Secretária Permanente, Nilsa Miquidade, disse que existe um mecanismo de diálogo a três níveis, nomeadamente, o fórum geral/político, […]

O Ministério de Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP), realizou recentemente uma reunião técnica com parceiros de cooperação para a partilhar prioridades e desafios do sector e seus projectos estruturantes.

Intervindo no encontro, a Secretária Permanente, Nilsa Miquidade, disse que existe um mecanismo de diálogo a três níveis, nomeadamente, o fórum geral/político, dirigido pelo ministro do pelouro, o fórum de coordenação técnica, liderado pelo secretário permanente e grupos temáticos que cobrem as 4 áreas de tutela do ministério e que constituem plataformas técnicas e operacionais no âmbito da planificação, monitoria e avaliação das actividades. 

Para Miquidade, a reunião com os parceiros de cooperação tem como objectivos reafirmar a visão do governo de Moçambique na área da ciência e tecnologia, ensino superior e técnico profissional, partilha com os parceiros de cooperação, as prioridades e desafios para o presente quinquénio e convidar os parceiros de cooperação a reforçarem o seu apoio ao sector de CTESTP, de modo a fazer face aos desafios impostos pela COVID-19.

No encontro, a dirigente deu a conhecer as actividades que estão a decorrer com apoio dos parceiros como apoio à instituições de ensino superior e ensino técnico profissional para retoma ao ensino presencial e/ou híbrido, através de concepção de programas de capacitação de docentes e apetrechamento de centros de recursos, bibliotecas e laboratórios com a aplicação do fundo rotativo, desenvolvimento da iniciativa 1 estudante 1 computador procurando envolver o sector privado,  revisão de sistemas da administração pública e desenvolvimento de aplicações para o cidadão, financiamento de projectos na área da saúde pública virado a pandemia do coronavírus, entre outras.

Todavia, apelou a necessidade de melhorar a coordenação das acções e os papéis de todos os intervenientes, visando a criação de um ambiente cada vez mais favorável ao desenvolvimento tecnológico, inovação, geração e disseminação do conhecimento, incluindo o aperfeiçoamento de habilidades, factores que vão servir de alavanca para o crescimento e desenvolvimento do país e da região.

“Sozinhos não poderemos alcançar os níveis de eficiência e eficácia desejados no quadro da implementação das nossas atribuições e competências como sector, daí que acreditarmos que a dinamização do mecanismo de diálogo através da nossa disponibilidade de reafirmação das prioridades estratégicas do quinquénio, partilha dos projectos estruturantes e a identificação de parceiros campeões nas áreas ou por programas e Iniciativas a serem desenvolvidas ou aprimoradas se já estiverem em implementação”, vincou.

Na sua alocução, a dirigente reafirmou que o envolvimento dos parceiros é estratégico e necessário para a efectiva implementação das acções de desenvolvimento e cumprimento das metas regionais e globais. Por isso, deve-se manifestar o compromisso de juntos caminhar em prol do desenvolvimento sustentável e efectivação da Agenda 2030.

Outrossim, Nilsa Miquidade mostrou-se agrado com o alinhamento das suas intervenções com as prioridades e desafios do ministério, mostrando-se expectante quanto a execução de algumas iniciativas orientadas para a empregabilidade de jovens em Cabo Delgado, com uma atenção especial ao género e a potenciação do papel do Banco Mundial e da UNESCO como instituições agregadoras dos parceiros bilaterais.

“O nosso pedido no sentido de os parceiros pensarem na possibilidade de integração de recursos para constituir se programas ou iniciativas mais robustas e abrangentes em termos de impacto e de identificação de parceiros campeões em cada uma das áreas ou sub-áreas”, afiançou.

Recordar que em 2016, o MCTESTP lançou formalmente o Mecanismo de Diálogo, como uma plataforma dinâmica de articulação e coordenação com os seus Parceiros de Cooperação, dentro das suas áreas de actuação e atendendo a sua diversidade cultural e política.

O Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional sente a necessidade de interagir cada vez mais com os seus parceiros de cooperação, não se limitando apenas na realização de reuniões anuais com estes, mas alargando o espaço de diálogo, com o objectivo de apresentar a estratégia do Governo para fortalecimento da resiliência das IES e ETP no quadro de prevenção e combate da COVID-19.