MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

25

Membros da SADC capacitados em estratégias de promoção de conteúdos locais

Os membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), participam de 19 à 21 de Maio de 2021, na capacitação sobre Estratégias de Promoção e Geração de Conteúdo Local, em Redes de Distribuição de Conteúdo Local (CDNs: Content Delivery Networks), e na Segurança da Infra-estrutura do Sistema de Nomes de Domínio (DNS – Domain […]

Os membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), participam de 19 à 21 de Maio de 2021, na capacitação sobre Estratégias de Promoção e Geração de Conteúdo Local, em Redes de Distribuição de Conteúdo Local (CDNs: Content Delivery Networks), e na Segurança da Infra-estrutura do Sistema de Nomes de Domínio (DNS – Domain Name Systems) da Internet.  Com esta acção, espera-se garantir que o tráfego da região da SADC seja trocado de forma integrada, assegurando maior eficiência e segurança da Internet, a baixo custo.

A decorrer no formato hibrido (virtual e presencial), a capacitação acontece durante a realização do Fórum de Pontos de Troca de Internet da SADC 2021, presidido por Moçambique, na qualidade de actual Presidente em exercício da SADC.

Discursando na ocasião da Cerimónia de Abertura do Fórum, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, desatacou a necessidade do fórum reflectir sobre o desempenho do Sector das TIC no geral e da Internet em particular, em seus países, na região e no mundo.

Na ocasião, o  ministro destacou a necessidade de o fórum  abordar o esforço individual que deve ser desenvolvido pelos países  membros da SADC, na promoção e geração de Conteúdo Local e Redes de Distribuição de Conteúdo Local (CDNs) e Segurança da Infraestrutura do Sistema de Nomes de Domínio (DNS), com vista a localizar na região as Redes de Disponibilização de Conteúdos Digitais, as CDNs (Content Delivery Networks), pelo seu potencial de impacto, não só na melhoria do desempenho da Internet mas também nos custos, na segurança e na soberania dos Estados na Era Digital.

É neste contexto que o Governo de Moçambique considera a Internet como uma das plataformas essenciais para o uso das TIC.  Daí que para além dos instrumentos legais e regulamentares o nosso país tem vindo a trabalhar na promoção de instituições visando garantir o correcto uso desta plataforma.  

Ademais, o evento, enquadra-se também nos esforços que Moçambique tem vindo a trabalhar nos últimos anos com vista à estabelecer um ambiente que promova o desenvolvimento da Sociedade de Informação, em particular da Internet e os desafios na formulação de políticas e instrumentos legais e de regulamentação neste sector, como seja  a Lei de Transacções Electrónicas, a Lei de Telecomunicações, a Estratégia Nacional de Banda Larga, o Decreto de Gestão de Domínio “.mz”, e o Decreto de Gestão de Internet aprovados pelo nosso Governo nos últimos anos e a Política e Estratégia de Segurança Cibernética, ora em preparação.

Estas políticas e estratégias do sector de TIC retro-mencionadas definem a visão e missão de cada interveniente no desenvolvimento da sociedade digital em Moçambique e, inclui também acções concretas para a economia digital e a participação de Moçambique na 4ª Revolução Industrial, assente no uso massivo de TIC.

Num outro desenvolvimento,o dirigente destacou o facto de o evento acontecer num momento em que as TIC, em particular a Internet e seus serviços são chamadas a desempenhar um papel fundamental na continuação das actividades económicas e académicas, em face da propagação da Pandemia da COVID-19.

“Este é o momento em que nós os profissionais das TIC e os Provedores de Serviços de Internet (ISPs) somos chamados à responsabilidade de garantir a continuidade dos serviços essenciais em todas as áreas de desenvolvimento social e económico, através de serviços digitais assentes em soluções de serviços de Internet em funcionamento seguro, fiável e acessíveis. Este é mais um factor que demonstra a relevância e o facto de ser oportuno a realização do Forum dos IXPs da SADC 2021”; salienta o ministro.

Recorde que o Governo tem vindo a apoiar o funcionamento do IXP de Moçambique, o MOZIX (Mozambique Internet Exchange), que funciona na Centro de Informática da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e promoveu o estabelecimento pela Associação, uma entidade legal com participação do sector privado, do sector publico, da académica, membros prestadores de serviços de Internet e de telecomunicações em Moçambique que deve gerir o MOZIX.

Alguns dos desafios da MOZIX prendem-se com a necessidade de adquirir UPS extra, instalar sistema de alarme e incêndio, instalar switch de backup de 10 Gpbs e fornecer treinamento de atualização de BGP; e implementar um IXP de redundância.

Sob o lema “SADC: 40 Anos Construindo a Paz e Segurança, Promovendo o Desenvolvimento e Resiliência Face aos Desafios Globais”, o evento contra com a participação   de Instituições do Governo e privadas de todos os países membros que lidam com IXPs (Angola, Botswana, Cômoros, República Democrática do Congo, Eswatini, Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, África do Sul, Tanzania, Zâmbia, Zimbabwe).

A nível de Moçambique, participam   quadros do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC), Sector Privado, operadores de IXP, UEM, Associação MoZIX.