MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

25

Nilsa Miquidade encoraja a UEM a reforçar a investigação e extensão

A Secretária Permanente do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Nilsa Miquidade em representação do Ministro do pelouro, encorajou a instituição a desenvolver esforços para melhorar os processos de ensino-aprendizagem, investigação e extensão universitária, durante a cerimónia de graduação da Universidade Eduardo Mondlane. De acordo com Nilsa Miquidade, os exultados que as instituições de […]

A Secretária Permanente do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Nilsa Miquidade em representação do Ministro do pelouro, encorajou a instituição a desenvolver esforços para melhorar os processos de ensino-aprendizagem, investigação e extensão universitária, durante a cerimónia de graduação da Universidade Eduardo Mondlane.

De acordo com Nilsa Miquidade, os exultados que as instituições de ensino superior têm estado a alcançar ao nível do ensino, investigação e extensão universitária reflectem o compromisso com o seu desenvolvimento, o que nos assegura que, de facto, os desígnios do plano estratégico.

“Este é um marco importante para o nosso país, na medida em que a partir de hoje, Moçambique passa a contar com mais quadros qualificados para responderem aos desafios que se colocam à promoção do desenvolvimento socioeconómico do nosso país”, afiançou.

Na sua intervenção, a dirigente defendeu que o papel do ensino superior se revela crucial para o desenvolvimento de qualquer país. Isto significa que as Universidades são, na sua essência, o pilar do desenvolvimento económico e social dos países.

A cerimónia de graduação assinalou o culminar de uma fase importante no percurso académico de um total de 616 estudantes de diversos cursos ministrados nesta instituição.

Ademais, salientou que o governo encoraja a melhoria quantitativa e qualitativa do corpo académico e técnico administrativo, tendo em vista dotar as instituições de ensino superior de uma capacidade de contribuir para a identificação de soluções para a diversidade de problemas que o nosso país enfrenta.

“Consideramos que a universidade deve adequar o ensino que oferece à realidade do país, devendo equacionar todos os seus fundamentos para estabelecer a ponte entre o conhecimento que é produzido nas diferentes áreas científicas e a sua aplicação prática na solução dos problemas que as comunidades enfrentam”, vincou.

Assim, como actores sociais as universidades são também chamadas a desempenhar um papel fundamental na promoção do diálogo e outras acções visando o restabelecimento da paz, consolidação da unidade nacional, rumo ao progresso.

Nilsa Miquidade apelou para que a universidade continue a aprimorar os mecanismos à sua disposição para a promoção e prática da democracia e outras maneiras que contribuam, de forma positiva, para o fortalecimento da nossa consistência e coerência nacional, promovendo atitudes positivas favoráveis à uma prosperidade efectiva e justa no país.