MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

18

PR desafia Daniel Nivagara a massificar investigação e uso da tecnologia

O Presidente da República, Filipe Nyusi desafiou Daniel Nivagara a massificar a investigação, o uso da tecnologia e paralelamente melhorar o ensino superior no país, durante a cerimónia de empossamento do novo timoneiro para o recém-criado ministério da ciência, tecnologia e ensino superior. Na sua intervenção, o Chefe de Estado detalhou as suas prioridades, entre […]

O Presidente da República, Filipe Nyusi desafiou Daniel Nivagara a massificar a investigação, o uso da tecnologia e paralelamente melhorar o ensino superior no país, durante a cerimónia de empossamento do novo timoneiro para o recém-criado ministério da ciência, tecnologia e ensino superior.

Na sua intervenção, o Chefe de Estado detalhou as suas prioridades, entre elas, a formação de recursos humanos para a ciência e tecnologia e inovação com enfoque para engenharias e matemática.

Assim, o país necessita de investir cada vez mais e de forma consciente no alargamento do acesso equitativo e fiável às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), em prol do desenvolvimento sustentável nacional.

De acordo com Alto Magistrado da Nação, disse que na área de ciência e tecnologia, o ministério deve prosseguir a agenda nacional de pesquisa, orientada para os problemas actuais do país, através do fortalecimento da capacidade das instituições de investigação científica e desenvolvimento tecnológico.

“É materializar o plano que operacionaliza a estratégia para a sociedade de informação”, informou Filipe Nyusi, acrescentando que “quando bem usadas, as TIC permitem que mais cidadãos tenham acesso a serviços e produtos em tempo útil, de forma eficiente, a custos mais reduzidos, tornando-se um factor de inclusão social”.

O dirigente quer ainda que o ministro expanda os serviços públicos digitais e promova o empreendedorismo e a inovação digital, contribuindo para a criação de novos empregos. Com os enormes desafios da pandemia da COVID-19, as tarefas dos cientistas aumentaram, daí do ministro da ciência, tecnologia e ensino superior que é chamado a dar o seu contributo de forma dinâmica e criativa.

Quanto ao ensino superior, o dirigente salientou que a missão é continuar a promover a expansão e o acesso equitativo, prestando atenção às disparidades geográficas e de género.

Deve-se igualmente, segundo ele, assegurar a oferta de formação superior relevante para o desenvolvimento do país, com padrões de qualidade nacional e internacional, orientar as instituições a consolidar a ligação com as comunidades onde estão inseridas, através de formação e pesquisa que respondam aos desafios locais.

Após ser empossado Daniel Nivagara, frisou a necessidade de trazer um novo dinamismo para o ministério que vai dirigir.

“Eu vou para um Ministério, temos, com certeza fóruns adequados para a discussão e aprovação de ideias que possam dar maior dinamismo a esta área de tecnologias de informação e todas outras que estão ligadas ao pelouro para o qual eu a partir de hoje passo a assumir”, disse o novo ministro.

Recordar que Daniel Nivagara era Professor Associado na Universidade Pedagógica, antes da sua nomeação. Lidera um Ministério reestruturado há pouco mais de uma semana que incluía, além da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Ensino Técnico Profissional.