Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Programa um computador
por estudante do Ensino Superior

25

PR quer propostas concretas para melhoria da qualidade de educação

 

Maputo, 24 de Julho de 2023 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, manifestou o interesse de ver as discussões da Conferência Nacional sobre Educação de Qualidade em Moçambique a produzirem propostas completas sobre a qualidade e relevância de ensino no país.

O Chefe do Estado falava na abertura da Conferência Nacional sobre Educação de Qualidade em Moçambique, que se realiza sob o lema “Por uma Educação de Qualidade, Inclusiva e Equitativa, em prol do Desenvolvimento Sustentável”.

No seu discurso de ocasião, o Presidente da República defendeu que a educação é a força que impulsiona avanços na vida política, cultural e social, na economia e no domínio tecnológico e que a sua qualidade possibilita aos indivíduos a operar transformações que beneficiem a si, à sua família, à sua comunidade e ao seu país.

‘’A educação e formação de qualidade aumentam as habilidades técnicas psíquicas e emocionais do indivíduo. Ajuda a tomar melhores decisões, contribui para o aumento da produtividade no sector produtivo, de rendas familiares e o crescimento da economia’’, realçou o estadista moçambicano.

O Governo, segundo disse, tem perspectivas imediatas para o incremento de qualidade dos subsistemas de ensino, entre outras, elevar o número de docentes com grau de Doctor, bem como massificar a sua formação continua.

‘’Gostaríamos que colocassem discussões que irão resultar em propostas completas sobre a qualidade e relevância de ensino e seus resultados, em particular nos seus aspectos críticos de como garantir que todos os moçambicanos, sem descriminação, tenham acesso ao ensino de qualidade’’, disse o Chefe do Estado.

Desta conferência espera-se ver definidas as estratégias e caminhos a seguir para o fortalecimento do Sistema Nacional de Educação, de modo a responder aos 4 pilares da educação, nomeadamente “aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a conviver” a serem compiladas num plano de acção final.

Fonte: Presidência da República