MCTES Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

25

Um total de 150 moçambicanos beneficiarão de formação Superior no Brasil

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) através do Instituto de Bolsas de Estudo (IBE) rubricou sexta-feira dia 16 de Abril de 2021, o acordo de cooperação técnica com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), um instrumento que vai permitir a formação superior de 150 moçambicanos em diversas áreas de […]

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) através do Instituto de Bolsas de Estudo (IBE) rubricou sexta-feira dia 16 de Abril de 2021, o acordo de cooperação técnica com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), um instrumento que vai permitir a formação superior de 150 moçambicanos em diversas áreas de saber.  

De acordo com o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, o memorando possibilitará a formação de moçambicanos nos níveis de Graduação e pós-Graduação, reforçando a implementação do Programa Quinquenal do Governo 2020-2024 (PQG 2020-2024).

Na sua alocução, Nivagara, anotou com satisfação o facto de a parceria entre o IBE e a UNILAB possuir um horizonte temporal de 5 anos, período de vigência que acompanhará a implementação integral do PQG 2020-2024, o que possibilitará maiores condições para a formação de capital humano moçambicano de elevada qualidade.

Segundo o ministro, o acordo irá contribuir para a melhoria da implementação das actividades de Ensino, Investigação e Extensão Universitária, bem como a Internacionalização das Instituições de Ensino Superior (IES).

Outrossim, o acordo prevê igualmente conceder bolsas de estudo aos moçambicanos, aprovados em processos selectivos da UNILAB para frequência nos níveis de graduação e pós-graduação; promover actividade de pesquisa científica; e estimular a mobilidade académica envolvendo discentes, docentes e técnicos administrativos da UNILAB e IES moçambicanas.

Intervindo por ocasião da Assinatura do acordo, a Vice-Reitora da UNILAB, Cláudia Carioca, referiu que Moçambique é o primeiro país parceiro a participar no Projecto de formação de Moçambicanos promovidos pela UNILAB.

“Moçambique inaugura um novo movimento, onde faz parte dos países africanos que fazem parte do processo de busca de formação para o desenvolvimento dos seus países”, sublinhou Cláudia Carioca.

Por sua vez, o embaixador do Brasil em Moçambique, Carlos Puente afirmou que a assinatura do acordo se junta a outras iniciativas que Brasil e Moçambique vem estabelecendo na área de ensino.  

Num outro desenvolvimento, o ministro orientou o IBE a proceder divulgação massiva, à escala nacional, as oportunidades de formação, por forma a que o acesso em termos de regiões geográficas do país, género, áreas de formação e extractos sociais seja equitativo. Daniel Nivagara salientou a necessidade de garantir oportunidades de formação aos moçambicanos, tendo em estreita a atenção as políticas e áreas prioritárias de desenvolvimento definidas pelo Governo. Na ocasião, exortou o IBE a dedicar especial atenção às oportunidades para concessão de Bolsas de estudo para áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM), por serem áreas de formação estratégicas para a indução do desenvolvimento nacional e promoção da harmoniosa inserção na Era Digital.   

De acordo com o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, o memorando possibilitará a formação de moçambicanos nos níveis de Graduação e pós-Graduação, reforçando a implementação do Programa Quinquenal do Governo 2020-2024 (PQG 2020-2024).

Na sua alocução, Nivagara, anotou com satisfação o facto de a parceria entre o IBE e a UNILAB possuir um horizonte temporal de 5 anos, período de vigência que acompanhará a implementação integral do PQG 2020-2024, o que possibilitará maiores condições para a formação de capital humano moçambicano de elevada qualidade.

Segundo o ministro, o acordo irá contribuir para a melhoria da implementação das actividades de Ensino, Investigação e Extensão Universitária, bem como a Internacionalização das Instituições de Ensino Superior (IES).

Outrossim, o acordo prevê igualmente conceder bolsas de estudo aos moçambicanos, aprovados em processos selectivos da UNILAB para frequência nos níveis de graduação e pós-graduação; promover actividade de pesquisa científica; e estimular a mobilidade académica envolvendo discentes, docentes e técnicos administrativos da UNILAB e IES moçambicanas.

Intervindo por ocasião da Assinatura do acordo, a Vice-Reitora da UNILAB, Cláudia Carioca, referiu que Moçambique é o primeiro país parceiro a participar no Projecto de formação de Moçambicanos promovidos pela UNILAB.

“Moçambique inaugura um novo movimento, onde faz parte dos países africanos que fazem parte do processo de busca de formação para o desenvolvimento dos seus países”, sublinhou Cláudia Carioca.

Por sua vez, o embaixador do Brasil em Moçambique, Carlos Puente afirmou que a assinatura do acordo se junta a outras iniciativas que Brasil e Moçambique vem estabelecendo na área de ensino.  

Num outro desenvolvimento, o ministro orientou o IBE a proceder divulgação massiva, à escala nacional, as oportunidades de formação, por forma a que o acesso em termos de regiões geográficas do país, género, áreas de formação e extractos sociais seja equitativo. Daniel Nivagara salientou a necessidade de garantir oportunidades de formação aos moçambicanos, tendo em estreita a atenção as políticas e áreas prioritárias de desenvolvimento definidas pelo Governo. Na ocasião, exortou o IBE a dedicar especial atenção às oportunidades para concessão de Bolsas de estudo para áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM), por serem áreas de formação estratégicas para a indução do desenvolvimento nacional e promoção da harmoniosa inserção na Era Digital.